Jesus

Os melhores Gifs animados jesus:
www.MiniRecados.com/gifs_animados_jesus/


Seguidores

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

BOAS FESTAS, FELIZ NATAL









O que é o Advento?






Chamamos «Advento» ao período das quatro semanas anteriores ao Natal, durante o qual a Igreja nos convida a preparar a festa, chamando-nos à oração e gestos de amor a Deus e ao próximo.






No tempo de Advento, a Igreja revive as «vindas» de Jesus ao seu povo:






· a vinda histórica, em carne mortal, como Menino, no Natal;






· A vinda triunfal, como Senhor, quando o seu Reino se manifestar plenamente;






· A vinda íntima, permanente, ao cristão que prepara o seu coração.






Durante o Advento Jesus vem despertar as nossas capacidades de amor, de oração, de confiança em Deus, de bondade, de solidariedade e de oração que estavam adormecidas no fundo de cada um de nós! Ele vem despertar em nós o amor a Deus e o amor ao próximo. Vem despertar em nós a alegria de sermos amados por Deus.







VAMOS CANTAR







Vamos cantar...


Cantar a Paz do meu Senhor, Jesus


Deixar que o amor


de Deus se torne em nossa vida, Luz!


É tão bom estar aqui...


juntos louvando o Senhor


Soltar a nossa voz e assim...


exaltar o Deus de Amor!










VEM, ESPÍRITO SANTO






Vem, Vem, Vem Espírito Santo!


Transforma minha vida... quero renascer!






Quero abandonar-me em Teu amor


Encharcar-me em Teus rios, Senhor


Derrubar as barreiras em meu coração

terça-feira, 14 de setembro de 2010

Oração para Uma Vida


Senhor, venho aqui com toda a minha alma, procurar-te para te pedir, não por mim mas por uma pessoa que está doente.
Coloco-me a teus pés e rogo, para que tenhas misericórdia por esta alma que tem ainda uma vida a percorrer, e concerteza muito tem ainda para dar e receber.
Peço-te pois que lhe dês saúde e paz de espirito, nada te peço para mim, pois eu de nada valho.
Senhor Sê misericordioso e passivo e que permitas que esta minha amiga se cure do mal que tem.
Tu que és o Nosso maior Amor.
Tu que És o Senhor do Universo.
Atendei ao meu pedido.


Amén.


Pai Nosso, que estás no Céu,
Santificado seja o teu Nome,
Vem a Nós o teu Reino,
Seja sempre feita a Tua Vontade e não a minha,
Assim na Terra como no Céu,
O Pão Nosso todos os dias tu me dás,
Perdoa as minhas Ofensas, e são muitas...Senhor.
Assim como eu devo perdoar a quem me ofenda.
Mas não me deixes nunca cair em Tentação, pois é dificil...a carne é fraca.
E livra-me sempre de todo o Mal.
Amén

terça-feira, 31 de agosto de 2010

Acção de Graças a Ti Senhor



Obrigado Senhor por tudo que cresce,
Obrigado pelos arco-íris do céu,
Obrigado pelas estrelas que brilham,
Obrigado pelos meus amigos,
Obrigado pela lua e o sol,
Obrigado Deus por tudo que você fez!


segunda-feira, 17 de maio de 2010

Credes agora??


Evangelho
Jo:16,29-33

Os seus discípulos disseram:


“Agora, sim, falas abertamente, e não em figuras.
Agora vemos que conheces tudo e não precisas que ninguém te faça perguntas.


Por isso acreditamos que saíste de junto de Deus!”
Jesus respondeu:


“Credes agora?
Eis que vem a hora, e já chegou, em que vos dispersareis, cada um para seu lado, e me deixareis sozinho.


Mas eu não estou só.


O Pai está sempre comigo.
Eu vos disse estas coisas para que, em mim, tenhais a paz.


No mundo tereis aflições.


Mas tende coragem!


Eu venci o mundo”.

domingo, 28 de março de 2010

As Bem Aventuranças

(para melhor ouvir desligue o music player ao lado)
«Bem-aventurados os pobres de espírito porque deles é o Reino dos Céus.
Bem-aventurados os mansos porque possuirão a terra.
Bem-aventurados os que choram porque serão consolados.
Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça porque serão saciados.
Bem-aventurados os misericordiosos porque alcançarão misericórdia.
Bem-aventurados os puros de coração porque verão a Deus.
Bem-aventurados os pacíficos porque serão chamados filhos de Deus.»

quarta-feira, 24 de março de 2010

A PAIXÃO DE CRISTO

PARTE 1



PARTE 2



PARTE 3



PARTE 4



PARTE 5



PARTE 6




PARTE 7



PARTE 8



PARTE 9



PARTE 10



PARTE 11

sexta-feira, 19 de março de 2010

Dia de São José

Hoje comemora-se o dia de São José e também o dia de todos os pais.
Oração pelos Pais.
Venho hoje a Ti, Senhor, pedir que estenda Tuas Mãos Divinas sobre todos os Pais, abençoando-os.
Abençoa, Senhor, o Pai amigo e companheiro, o Pai sempre presente, que oferece o colo e estende a mão, mas também o Pai ausente, colocando todo Teu Amor em seu coração.
Abençoa, Senhor, o Pai que hoje recebe o abraço de seus filhos e o Pai que chora a ausência do filho que partiu para Teus braços.
Dai, a este, o consolo da mansa saudade e enxuga, com Teu Divino Manto, as lágrimas que vertem de seus olhos.
Estenda, Senhor, Tuas mãos de Amor sobre todos os Pais, concedendo a eles os dons da paciência, compreensão, tranqüilidade, ternura, justiça, fé na vida e em seus filhos, e Amor, muito Amor, para que cada filho seja, para seu pai, um pai, e para que cada pai seja, para seu filho, um filho.
E aos filhos, cujos Pais estão junto a Ti, dai a Fé e o entendimento de que os Pais nunca vão embora...
Eles apenas mudam de lugar...Maricell
****
video
Para melhor ouvir desligue o music player ao lado na tabela.

quarta-feira, 10 de março de 2010

Ultima Mensagem



Última Mensagem, 2010.2. março - Mensagem dada a vidente Mirjana

“Queridos filhos, neste tempo especial de seu esforço para estarem todos o mais perto de Meu Filho, do seu sofrimento, mas também do amor com o qual Ele o suportou, Eu desejo dizer a vocês que Eu estou com vocês. Eu ajudarei vocês a triunfarem sobre os erros e tentações com a Minha Graça. Eu ensinarei a vocês amor, amor o qual apaga todos os pecados e os fazem perfeitos, amor que dá a vocês a Paz de Meu Filho agora e para sempre.
A Paz esteja com vocês e em vocês, porque Eu Sou a Rainha da Paz.
Obrigada. ”

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

A Cadeira de São Pedro


"Tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja; e as portas do Inferno nunca prevalecerão contra ela." Mt 16,18
Comemora-se hoje o dia da Cadeira de São Pedro.

Pastorinhos de Fátima




Mensagens de Amor
Não podia deixar passar este dia.
Dia dos Pastorinhos de Fátima 20 de Fevereiro de 2010.
Já vou tarde mas aqui fica o registo.
Hino dos Pastorinhos

Cantemos, alegres, a uma só voz:
Francisco e Jacinta rogai por nós

Salve, salve, Pastorinhos
Nosso encanto e alegria
Salve, salve, pastorinhos
Predilectos de Maria

Vossos olhos inocentes
Contemplaram a Senhora
Dos seus filhos peregrinos
Carinhosa protectora

Sacrifício e oração
Foi a vossa vida inteira
Ao convite maternal
Da Senhora da azinheira

Praticando a caridade
Entregáveis com carinho
A merenda que leváveis
Ao primeiro pobrezinho

Caminhantes neste mundo
Ajudai-nos, cada dia
A viver sempre seguros
Sob o manto de Maria

A Senhora do Rosário
Pela vossa intercessão
Abençoe o Santo Padre
E nos leve à conversão

Contemplando Deus no Céu
Pelos anjos adorado
Alcançai o dom da paz
Para o mundo extraviado

Protegei a nossa Pátria
Para que, à sombra da cruz
Guarde sempre a fé cristã
E a verdade de Jesus

Cante com a letra:
Para ouvir desligue o player na tabela do lado clicando em pausa




quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

Site Novo com orações diárias






Aconselho a todos.




Adorei esta idéia.




Abençoados sejam.




Manuela








Quarta-feira de Cinzas


Qual o sentido da celebração das Cinzas?
A intenção deste sacramental é levar-nos ao arrependimento dos pecados
A Quarta-feira de Cinzas foi instituída há muito tempo na Igreja; marca o início da Quaresma, tempo de penitência e oração mais intensa. Para os antigos judeus se sentar sobre as cinzas já significava arrependimento dos pecados e volta para Deus. As Cinzas bentas e colocadas sobre as nossas cabeças nos fazem lembrar que vamos morrer; que somos pó e que ao pó da terra voltaremos (cf. Gn 3, 19) para que nosso corpo seja refeito por Deus de maneira gloriosa para não mais perecer.
A intenção deste sacramental é levar-nos ao arrependimento dos pecados, marcando o início da Quaresma; e fazer-nos lembrar que não podemos nos apegar a esta vida achando que a felicidade plena possa ser construída aqui. É uma ilusão perigosa. A morada definitiva é o céu.
A maioria das pessoas, mesmo os cristãos, passa a vida lutando para "construir o céu na terra". É um grande engano. Jamais construíremos o céu na terra; jamais a felicidade será perfeita no vale em que o pecado transformou num vale de lágrimas. Devemos, sim, lutar para deixar a vida na terra cada vez melhor, mas sem a ilusão de que ficaremos sempre aqui.
Deus dispôs tudo de modo que nada fosse sem fim aqui nesta vida. Qual seria o desígnio do Senhor nisso? A cada dia de nossa vida temos de renovar uma série de procedimentos: dormir, tomar banho, alimentar-nos, etc... Tudo é precário, nada é duradouro, tudo deve ser repetido todos os dias. A própria manutenção da vida depende do bater interminável do cora­ção e do respirar contínuo dos pulmões. Todo o organismo repete, sem cessar, suas operações para a vida se manter. Tudo é transitório... nada eterno. Toda criança se tornará um dia adulta e, depois, idosa. Toda flor que se abre logo estará murcha; todo dia que nasce logo se esvai... e assim tudo passa, tudo é transi­tório.
Por que será? Qual a razão de nada ser duradouro? Com­pra-se uma camisa nova e, logo, já está surrada; compra-se um carro novo e, logo, ele estará bastante rodado e vencido por novos modelos, e assim por diante.
A razão inexorável dessa precariedade das coisas também está nos planos de Deus. A marca da vida é a renovação. Tudo nasce, cresce, vive, amadurece e morre. A razão profunda dessa realidade tão transitória é a lição cotidiana que o Senhor nos quer dar de que esta vida é apenas uma passagem, um aperfeiçoamento, em busca de uma vida duradoura, eterna, perene.
Em cada flor que murcha e em cada homem que falece, sinto Deus nos dizer: "Não se prendam a esta vida transitória. Preparem-se para aquela que é eterna, quando tudo será duradouro, e nada precisará ser renovado dia a dia."
E isso mostra-nos também que a vida está em nós, mas não é nossa. Quando vemos uma bela rosa murchar é como se ela estivesse nos dizendo que a beleza está nela, mas não lhe pertence.
Ainda assim, mesmo com essa lição permanente que Deus nos dá, muitos de nós somos levados a viver como aquele homem rico da parábola narrada por Jesus. Ele abarrotou seus celeiros de víveres e disse à sua alma: "Descansa, come, bebe e regala-te" (Lc 12,19b); ao que o Senhor lhe disse: "Insensato! Nesta noite ainda exigirão de ti a tua alma" (Lc 12,20).
A efemeridade das coisas é a maneira mais prática e cons­tante encontrada por Deus para nos dizer, a cada momento, que aquilo que não passa, que não se esvai, que não morre, é aquilo de bom que fazemos para nós mesmos e, principalmente, para os outros. Os talentos multiplicados no dia a dia, a perfei­ção da alma buscada na longa caminhada de uma vida de me­ditação, de oração, de piedade, essas são as coisas que não passam, que o vento do tempo não leva e que, finalmente, nos abrirão as portas da vida eterna e definitiva, quando "Deus será tudo em todos" (cf. 1 Cor 15,28).
A transitoriedade de tudo o que está sob os nossos olhos deve nos convencer de que só viveremos bem esta vida se a vivermos para os outros e para Deus. São João Bosco dizia que "Deus nos fez para os outros". Só o amor, a caridade, o oposto do egoísmo, pode nos levar a compreender a verdadeira di­mensão da vida e a necessidade da efemeridade terrena.
Se a vida na terra fosse incorruptível, muitos de nós jamais pensarí­amos em Deus e no céu. Acontece que o Todo-poderoso tem para nós algo mais excelente, aquela vida que levou São Paulo a exclamar:
"Coisas que os olhos não viram, nem os ouvidos ouviram, nem o coração humano imaginou (Is 64,4), tais são os bens que Deus tem preparado para aqueles que o amam" (1 Cor 2,9).
A corruptibilidade das coisas da vida deve nos convencer de que Deus quer para nós uma vida muito melhor do que esta - uma vida junto d'Ele. E, para tal, o Senhor não quer que nos acostumemos com esta [vida], mas que busquemos a outra com alegria, onde não have­rá mais sol porque o próprio Deus será a luz, nem haverá mais choro nem lágrimas.
Aqueles que não creem na eternidade jamais se confor­marão com a precariedade desta vida terrena, pois sempre so­nharão com a construção do céu nesta terra. Para os que creem a efemeridade tem sentido: a vida “não será tirada, mas transformada”; o "corpo corruptível se revestirá da incorrupti­bilidade" (cf 1Cor 15,54) em Jesus Cristo.
Santa Teresinha não se cansava de exclamar:
“Tenho sede do Céu, dessa mansão bem-aventurada, onde se amará Jesus sem restrições. Mas, para lá chegar é preciso sofrer e chorar; pois bem! Quero sofrer tudo o que aprouver a meu Bem Amado, quero deixar que Ele faça de sua bolinha o que Ele quiser”.
São Paulo lembrou aos filipenses: “Nós somos cidadãos do Céu!. É de lá que também esperamos o Salvador, o Senhor Jesus Cristo. Ele transformará nosso corpo miserável, para que seja conforme o seu corpo glorioso, em virtude do poder que tem de submeter a si toda a criatura” (Fl 3, 20-21).
A esperança do Céu e da Sua glória fazia o Apóstolo dizer:
“Os olhos não viram, nem ouvidos ouviram, nem o coração humano imaginou (Is 64,4), o que Deus tem preparado para aqueles que o amam” (1 Cor 2,9).
E essa esperança lhe dava as forças necessárias para vencer as tribulações: “Tenho para mim que os sofrimentos da vida presente não têm proporção alguma com a glória futura que nos deve ser manifestada” (Rom 8,18).
Este é o sentido das Cinzas.

Felipe Aquino




Prof. Felipe Aquino, casado, 5 filhos, doutor em Física pela UNESP. É membro do Conselho Diretor da Fundação João Paulo II. Participa de Aprofundamentos no país e no exterior, já escreveu 60 livros e apresenta dois programas semanais na TV Canção Nova: "Escola da Fé" e "Trocando Idéias". Saiba mais em Blog do Professor FelipeSite do autor: www.cleofas.com.br

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

Ouçam a Voz do Céu



Última Mensagem, 2010. 2. fevereiro - Mensagem dada a vidente Mirjana
“Queridos filhos; Com amor maternal, hoje eu os convido a ser um farol para todas as almas que vagueiam na escuridão da ignorância do amor de Deus.
Que vocês possam brilhar com todo o brilho e atrair o maior número de almas, não permitem que as inverdades que saem de sua boca silenciem a sua consciência.
Sejam perfeitos.
Eu os estou conduzindo com minha mão materna
uma mão de amor.
Obrigada. ”
.
Mensagem, 2010 25. janeiro
“Queridos filhos!


Que este tempo seja um tempo de oração pessoal para vocês, para que a semente da fé possa crescer em seus corações, e possa ela crescer em um alegre testemunho para os outros e EU desejo inspirar todos vocês:


cresçam e alegrem-se no Senhor que os criou.


Obrigada por terem respondido ao Meu Apelo. ”




terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

O Cantinho fez 3 anos

Image and video hosting by TinyPic

Obrigada a todos os que fizeram partilhar este Amor.
Manuela

terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

Hoje é Dia da Senhora das Candeias


Nossa Senhora dos Navegantes (Nossa Senhora das Candeias)


A designação Nossa Senhora dos Navegantes (ou Senhora das Candeias), originou-se no século XV, com a navegação dos europeus, especialmente dos portugueses.

Aqueles que viajavam, pediam proteção à Nossa Senhora, para retornarem salvos à pátria.

O simbolismo da mulher corajosa e orientadora dos viajantes, fez com que Maria fosse vista como uma eterna vencedora dos inimigos das tempestades.

Costuma-se festejar o dia que lhe é dedicado, com uma grande procissão fluvial no Brasil.

Também conhecida pelos devotos como festa de Nossa Senhora das Candeias é comemorada desde o século IV, substituindo os ritos pré-cristãos da fertilidade.

Candeias são pequenos aparelhos de iluminação, suspensos por um prego, com recipientes de folha-de-flandres, barro, ou outro material, abastecidos com óleo, no qual se embebe uma torcida.

Segundo a lei mosaica, todo filho varão deve ser apresentado no Templo após quarenta dias do seu nascimento, onde a mãe é submetida a um ritual de purificação.
Nossa Senhora se submeteu a essa lei, apresentando o menino Jesus no Templo Sagrado.

Esta festividade dos luzeiros foi denominada "Candeias", porque ainda hoje percorre-se o caminho que Maria fez até o Templo. Os fiéis seguem em procissão, levando nas mãos velas acessas.

Nossa Senhora das Candeias é a padroeira dos alfaiates e das costureiras.

terça-feira, 26 de janeiro de 2010

Saulo, o Apóstolo Paulo

A conversão de S. Paulo

VIDA DE SÃO PAULO

Paulo nasceu entre o ano 5 e 10 da era cristã, em Tarso, capital da Cilícia, na Ásia Menor, cidade aberta às influências culturais e às trocas comerciais entre o Oriente e o Ocidente. Descende de uma família de judeus da diáspora, pertencente à tribo de Benjamim, que observava rigorosamente a religião dos seus pais, sem recusar os contactos com a vida e a cultura do Império Romano.



Os pais deram-lhe o nome de Saul (nome do primeiro rei dos judeus) e o apelido Paulo. O nome Saul passou para Saulo porque assim era este nome em grego. Mais tarde, a partir da sua primeira viagem missionária no mundo greco-romano, Paulo usa exclusivamente o sobrenome latino Paulus.



Recebeu a sua primeira educação religiosa em Tarso tendo por base o Pentateuco e a lei de Moisés. A partir do ano 25 d.C. vai para Jerusalém onde frequenta as aulas de Gamaliel, mestre de grande prestígio, aprofundando com ele o conhecimento do Pentateuco escrito e oral.
Aprende a falar e a escrever aramaico, hebraico, grego e latim. Pode falar publicamente em grego ao tribuno romano, em hebraico à multidão em Jerusalém (Act 21,37.40) e catequizar hebreus, gregos e romanos.



Paulo é chamado “o Apóstolo” por ter sido o maior anunciador do cristianismo depois de Cristo. Entre as grandes figuras do cristianismo nascente, a seguir a Cristo, Paulo é de facto a personalidade mais importante que conhecemos. É uma das pessoas mais interessantes e modernas de toda a literatura grega, e a sua Carta aos Coríntios é das obras mais significativas da humanidade.



Escreveu 13 cartas às igrejas por ele fundadas: cartas grandes: duas aos tessalonicenses; duas aos coríntios; aos gálatas; aos romanos. Da prisão: aos filipenses; bilhete a Filémon; aos colossenses; aos efésios. Pastorais: duas a Timóteo e uma a Tito.



Quando estava preso em Cesareia, Paulo apela para César e o governador Festo envia-o para Roma, onde chegou na Primavera do ano 61. Viveu dois anos em Roma em prisão domiciliária. Sofreu o martírio no ano 67, no final do reinado de Nero, na Via Ostiense, a 5 quilómetros dos muros de Roma.

quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

Excelente Email que recebi



No mundo em que vivemos, a televisão nos diz que não existe mais pecado e nem inferno... entretanto, as Verdades Eternas permanecem, apesar do vai-e-vem da moda... segue um texto bem informativo.
Essa pergunta foi feita ao Site Veritatis Splendor, e pode ser dúvida de mais alguém, boa leitura.
Abraços fraternos.






***LEITOR PERGUNTA: O INFERNO É APENAS UM BLEFE?========


Mensagem postada:



Se fosse possível medir entre nós e o criador a misericórdia, o amor, a tolerãncia, a bondade, a fraternidade e etc, é claro que ficaríamos em séria desvantagem, pois DEUS é tudo, pois é o criador. Também de acordo com os seus ensinamentos, um dos mais nobres a meu ver seria amar o teu próximo como a ti mesmo, amar o teu inimigo, oferecer a outra face e tudo o mais.
Pois bem, dentro desta linha de pensamento e salvaguardando a diferença estratosférica entre os homens e o criador, seria um exagero afirmar que o inferno é apenas um blefe?




Se para DEUS, nós, míseros humanos temos condição de amar sem ressalvas........Será que DEUS em sua grandeza absoluta perderia ou admitiria perder alguma alma para o demônio?
Resposta:Prezado WellingtonAgradecemos-lhe a visita ao nosso site e também a sua mensagem.



As suas perguntas:1) O inferno é apenas um blefe?


2) Será que Deus em sua grandeza absoluta perderia ou admitiria perder alguma alma para o demônio?; poderiam ser resumidas numa única pergunta:
O estado de inferno, a condenação para todo o sempre, de um ser criado à imagem e semelhança de Deus, não seria incompatível com o amor e a misericórdia infinitos de Deus?



O inferno não é incompatível com a misericórdia e o amor infinitos de Deus porque o estado de inferno não é criação, nem desejo de Deus, que quer a salvação de todos. Deus que é Amor infinito não se impõe à Sua criatura, criada à Sua imagem e semelhança, nem a força a amá-Lo, mas a convida contínua, amorosa e pacientemente, por meio de muitas graças, para que ela livremente O procure, O conheça e O ame, a fim de que, dando glória a Ele, seja plenamente feliz participando de Sua Vida Bem Aventurada para a qual ela foi criada.
É a própria criatura, criada à imagem e semelhança de Deus, seja ela ser humano, seja ela ser puramente espiritual (um anjo), que, quando se recusa a se arrepender de seu pecado mortal e de se abrir humildemente ao amor, à misericórdia de Deus, e de aceitar o perdão de Deus, se fixa livre, obstinada e definitivamente no estado de inferno.



Deus não condena ninguém ao estado inferno, é a própria criatura que se condena.
Deus continua a amar e a manter na existência a criatura que se condenou ao estado de inferno. Ele está sempre pronto a perdoá-la e a acolhê-la. Mas, infelizmente, é a própria criatura que livremente se fechou em si mesma em seu orgulho, recusou as graças de Deus, não quer ser amada, acolhida e perdoada por Deus.
Vejamos o que nos ensina sobre o Inferno,
o Catecismo da Igreja Católica, Edição Típica Vaticana,
fonte:

http://www.vatican.va/archive/cathechism_po/index_new/p1s2cap3_683-1065_po.html

"O Inferno1033.


Não podemos estar em união com Deus se não escolhermos livremente amá-Lo.


Mas não podemos amar a Deus se pecarmos gravemente contra Ele, contra o nosso próximo ou contra nós mesmos: «Quem não ama permanece na morte. Todo aquele que odeia o seu irmão é um homicida: ora vós sabeis que nenhum homicida tem em si a vida eterna» (1 Jo 3, 14-15).
Nosso Senhor adverte-nos de que seremos separados d'Ele, se descurarmos as necessidades graves dos pobres e dos pequeninos seus irmãos (629).



Morrer em pecado mortal sem arrependimento e sem dar acolhimento ao amor misericordioso de Deus, significa permanecer separado d'Ele para sempre, por nossa própria livre escolha. E é este estado de auto-exclusão definitiva da comunhão com Deus e com os bem-aventurados que se designa pela palavra «Inferno».
1034. Jesus fala muitas vezes da «gehena» do «fogo que não se apaga» (630) reservada aos que recusam, até ao fim da vida, acreditar e converter-se, e na qual podem perder-se, ao mesmo tempo, a alma e o corpo (631). Jesus anuncia, em termos muitos severos, que «enviará os seus anjos que tirarão do seu Reino [...] todos os que praticaram a iniquidade, e hão-de lançá-los na fornalha ardente»(Mt 13, 41-42), e sobre eles pronunciará a sentença: «afastai-vos de Mim, malditos, para o fogo eterno» (Mt 25, 41).
1035.



A doutrina da Igreja afirma a existência do Inferno e a sua eternidade. As almas dos que morrem em estado de pecado mortal descem imediatamente, após a morte, aos infernos, onde sofrem as penas do Inferno, «o fogo eterno» (632). A principal pena do inferno consiste na separação eterna de Deus, o único em Quem o homem pode ter a vida e a felicidade para que foi criado e a que aspira.
1036.



As afirmações da Sagrada Escritura e os ensinamentos da Igreja a respeito do Inferno são um apelo ao sentido de responsabilidade com que o homem deve usar da sua liberdade, tendo em vista o destino eterno. Constituem, ao mesmo tempo, um apelo urgente à conversão:


«Entrai pela porta estreita, pois larga é a porta e espaçoso o caminho que levam à perdição e muitos são os que seguem por eles.


Que estreita é a porta e apertado o caminho que levam à vida e como são poucos aqueles que os encontram!» (Mt 7, 13-14):
«Como não sabemos o dia nem a hora, é preciso que, segundo a recomendação do Senhor, vigiemos continuamente, a fim de que, no termo da nossa vida terrena, que é só uma, mereçamos entrar com Ele para o banquete de núpcias e ser contados entre os benditos, e não sejamos lançados, como servos maus e preguiçosos, no fogo eterno, nas trevas exteriores, onde "haverá choro e ranger de dentes"» (633).
1037. Deus não predestina ninguém para o Inferno (634). Para ter semelhante destino, é preciso haver uma aversão voluntária a Deus (pecado mortal) e persistir nela até ao fim.



Na liturgia eucarística e nas orações quotidianas dos seus fiéis, a Igreja implora a misericórdia de Deus, «que não quer que ninguém pereça, mas que todos se convertam» (2 Pe 3, 9):
«Aceitai benignamente, Senhor, a oblação que nós, vossos servos, com toda a vossa família, Vos apresentamos.



Dai a paz aos nossos dias livrai-nos da condenação eterna e contai-nos entre os vossos eleitos» (635)."
Conclusão:
O inferno não é um blefe.



É uma realidade terrível e possível para toda a criatura, criada à imagem e semelhança de Deus, que permanecendo livre e obstinadamente em estado de pecado mortal, recusa o amor, a misericórdia e o perdão de Deus.
Assim sendo, Deus permitiria sim que uma criatura (anjo ou ser humano) se condenasse ao estado de inferno porque Ele, embora todo-poderoso, respeita a escolha e a liberdade da criatura que em definitivo recusou, por orgulho, todas as graças enviadas por Ele necessárias para o arrependimento e a conversão para o bem.
O demônio/diabo/satanás é um exemplo de criatura, um anjo originalmente bom, que de modo livre e obstinado rejeitou para todo o sempre o amor de Deus e assim está, por culpa própria, no estado de inferno do qual nunca sairá, não porque Deus não o permita ou não o queira, mas porque ele mesmo (demônio/diabo/satanás) não o quer.




Notas do Catecismo:



629. Cf. Mt 25, 31-46.
630. Cf. Mt 5, 22.29; 13, 42.50; Mc 9, 43-48.
631. Cf. Mt 10, 28.
632. Cf. Symbolum Quicumque: DS 76; Synodus Constantinopolitana. q (em 543), Anathematismi contra Origenem, 7: DS 409; Ibid, 9: DS 411; IV Concílio de Latrão, Cap. I, De fide catholica: DS 801: II Concílio de Lião, Professio fidei Michaelis Palaeologi imperatoris: DS 858; Bento XII, Const. Benedictus Deus: DS 1002; Concílio de Florença, Decr. pro Iacobitis: DS 1351: Concílio de Trento, Sess. 6ª, Decr. de iustiftcatione, canon 25: DS 1575; Paulo VI. Sollemnis Professio fidei, 12: AAS 60 (1968) 438.
633. II Concílio do Vaticano, Const. dogm. Lumen Gentium, 48: AAS 57 (1965) 54.
634. II Concílio de Orange, Conclusio: DS 397; Concílio de Trento, Sess. 6ª. Decr: de iustificatione, canon 17: DS 1567.
635. Oração Eucarística I ou Cânone Romano, 88: Missale Romanum, editio typica (Typis Polyglottis Vaticanis 1970), p. 450 [Missal Romano, Gráfica de Coimbra 1992, 518].
Espero que a resposta tenha sido útil.Que Deus o abençoe.Atenciosamente,
Renato Colonna RosmanApostolado Veritatis Splendor
Para citar este artigo:ROSMAN, Renato Colonna. Apostolado Veritatis Splendor: LEITOR PERGUNTA: O INFERNO É APENAS UM BLEFE?.



Disponível em
http://www.veritatis.com.br/article/5966. Desde 20/10/2009.

--Postado por Joao Batista no
Catolicos Somos em 1/07/2010 01:07:00 PM

terça-feira, 5 de janeiro de 2010

Mensagem de Nossa Senhora das Graças


Última Mensagem, 2010. 2. janeiro


Mensagem dada a vidente Mirjana




“Queridos filhos, hoje Eu estou chamando vocês para, com completa confiança e amor, caminhem comigo, porque Eu desejo familiarizar vocês com Meu Filho. Não tenham medo, Meus filhos, Eu estou aqui com vocês, Eu estou ao lado de vocês. Eu estou mostrando a vocês o caminho de perdoar a si mesmos, de perdoar aos outros e, com sincero arrependimento do coração, se ajoelharem diante do Pai. Façam morrer tudo o que impede vocês de amar e servir – para que vocês possam estar com Ele e Nele. Decidam-se por um novo começo, um começo de sincero amor por Deus. Obrigada. ”


sexta-feira, 1 de janeiro de 2010

Mensagem de Natal da Nossa Mãe e Mãe de Jesus



Mensagem de 25 de Dezembro de 2009
Queridos filhos, Neste dia de júbilo, Eu levo todos vocês diante de Meu Filho, o Rei da Paz, para que Ele dê a vocês Sua Paz e Bençãos. Filhinhos, no amor compartilhem esta paz e bênçãos com os outros. Obrigada por terem respondido a Meu chamado. ”




2009.25. Dezembro-Mensagem anual a Jakov
“Queridos filhos ! Todo este tempo que Deus permite a Mim estar com vocês, Eu desejo guiar vocês para o caminho que leva a Jesus, o caminho da sua salvação. Meus queridos filhos, vocês somente podem encontrar salvação em Deus. Além disso, neste dia de misericórdia, com o Jesus bebê em Meus braços, Eu chamo vocês a permitir a Jesus nascer em seus corações. Somente com Jesus em seus corações vocês podem ir no caminho da salvação e da Vida Eterna.
 Obrigada por terem respondido a Meu Apelo. ”